Segurança e conformidade de dados impulsionam nuvem híbrida em organizações médicas

Companhias querem acelerar adoção da nuvem híbrida para proteger dados dos pacientes e garantir conformidade regulamentar

O segmento de saúde está, em todo o mundo, sob pressão para impulsionar a transformação digital para atender às crescentes demandas no atendimento ao paciente. Relatório anual Enterprise Cloud Index, da Nutanix, revela que a transformação digital impactou significativamente a implementação da nuvem em vários setores, e não foi diferente com as organizações de saúde: 68% delas citaram essa tendência.

Em linha com as principais predições da TI para a área de saúde, as companhias do segmento classificaram a assistência médica personalizada (52%) e os assistentes de IA (44%) como fatores positivos para a adoção da nuvem – ou seja, adotar a nuvem é essencial para que as organizações de saúde ofereçam os cuidados mais avançados.

A nuvem híbrida é considerada a mais segura – e, a nuvem pública, a menos

Atento às regulamentações, o setor de saúde sabe que a conformidade com a lei deve permanecer em primeiro plano: mais da metade dos entrevistados (55%) citou os regulamentos que regem o armazenamento de dados como um aspecto importante para a adoção futura do modelo de nuvem em suas organizações. O relatório também apontou que as empresas estavam menos preocupadas com custo e orçamento do que com a rapidez da implantação de TI.

Segurança e conformidade são os principais fatores que determinam as decisões de implantação na nuvem. Quando perguntados sobre o principal fator que influencia na maneira como eles decidem onde hospedar uma determinada carga de trabalho, a segurança e a conformidade dos dados surgiram com mais frequência nas empresas de saúde (29%). Em comparação, o custo ficou em um distante segundo lugar, com apenas 16% das empresas de saúde citando-o como o principal fator. Além disso, mais da metade dos entrevistados da área de saúde (60,4%) disse que o estado de segurança entre nuvens seria o fator de maior influência em suas futuras implantações na nuvem.

A nuvem híbrida é considerada a mais segura – e, a nuvem pública, a menos. Embora quase todas as indústrias pesquisadas no ECI de 2019 tenham considerado a nuvem híbrida o modelo operacional de TI mais seguro, a porcentagem foi ainda maior entre os respondentes da área de saúde. As organizações do setor escolheram a nuvem híbrida como a mais segura em quase 33% das vezes, em comparação com a média de cerca de 28% de todos os entrevistados do ECI em 2019. Em segundo lugar, os profissionais de TI do setor classificaram a nuvem privada não hospedada no local como a segunda infraestrutura mais segura (21%). A infraestrutura de nuvem pública foi eleita a menos segura, com apenas 7% apontando-a como a opção mais segura.

Uma grande maioria das empresas médicas (87%) identificou a nuvem híbrida como o modelo operacional ideal de TI. Nos próximos três a cinco anos, as companhias compartilharam planos agressivos para aumentar o uso de híbridas em 44%, enquanto diminuíam as implantações tradicionais de data center em cerca de 35%. Enquanto atualmente outros setores ultrapassam o segmento médico com uma maior adoção da nuvem híbrida, os dados do ECI apontam que as empresas médicas confiam que os problemas de ferramentas e outros obstáculos da nuvem que impedem a adoção serão resolvidos rapidamente.

“Atualmente as organizações de saúde buscam melhorar a experiência do paciente, aumentar a interoperabilidade de dados e oferecer um atendimento virtual baseado em valor”, disse Cheryl Rodenfels, estrategista de Saúde da Nutanix. “Esses resultados não podem ser alcançados sem aproveitar o poder da infraestrutura de uma nuvem flexível e segura. Um modelo de nuvem híbrida permite que as equipes de TI protejam os dados do paciente e garantam a conformidade regulamentar, deixando que os prestadores de serviços de saúde continuem a fornecer cuidados tecnológicos avançados para estender a experiência do paciente ao espaço digital”.