Carreira Geral

Programa P-TECH treinará 10 mil jovens da AL

Iniciativa da IBM fornece aos alunos acesso à educação sobre novas tecnologias.

A IBM, a Federación Internacional Fe y Alegría, AUSJAL (Associação Internacional de Universidades Jesuítas) e a Magis Americas assinaram um acordo para expandir o modelo educacional da P-TECH na América Latina.

Inicialmente serão 45 escolas, incluindo três na Argentina, 14 na Colômbia, 15 no Equador, uma na Guatemala e 12 no Peru. No Brasil, o modelo começou no início do ano, fruto de uma parceria com o Centro Paula Souza.

O P-TECH fornece aos alunos acesso à educação sobre novas tecnologias, permitindo que eles obtenham um diploma do ensino médio, técnico e superior em áreas como IA, Nuvem e Segurança Cibernética.

“Apesar da crescente população em idade ativa, a América Latina atualmente tem uma séria escassez de habilidades profissionais e técnicas. Aproximadamente um quinto da juventude latino-americana, cerca de 30 milhões de pessoas, não está empregado ou participa de atividades ou treinamentos acadêmicos”, afirmou Ana Paula Assis, gerente-geral da IBM América Latina.

“Com o objetivo de atender a essa crescente necessidade, a IBM criou o modelo de educação P-TECH para preencher lacunas no mercado de trabalho e ajudar a próxima geração de líderes de negócios e tecnologia a ter sucesso”, ressalta a executiva.

Em 2020, os alunos iniciarão um currículo com duração de, pelo menos, três anos. Esse esforço se somará ao alcance mundial de escolas em todo o mundo que atualmente contam com o programa P-TECH.

“Estamos muito orgulhosos de apoiar a expansão do modelo inovador e inclusivo P-TECH na América Latina para fornecer aos estudantes mais habilidades e oportunidades de carreira que mudam a vida”, disse Guillermo Miranda, vice-presidente de Responsabilidade Social Corporativa da IBM.

“A IBM sempre enfatizou a importância de investir no progresso de regiões ao redor do mundo por meio da educação. Com esta iniciativa, estamos liderando o caminho para os estudantes latino-americanos desenvolverem as habilidades necessárias para prosperar na economia digital”, afirma Miranda.

IBM, Fe y Alegría, AUSJAL e Magis Americas também criarão um grupo de trabalho para colaborar e planejar a expansão e o crescimento do modelo, possibilitando novas alianças com escolas técnicas.

O programa ajudará os alunos do ensino médio da rede global Fe y Alegría a adquirir habilidades críticas no local de trabalho e fornecer credenciais de ensino superior, abrindo novas oportunidades profissionais e universitárias. Além disso, a IBM fornecerá aos alunos acesso às suas plataformas de ensino, incluindo ptech.org e SkillsBuild.org, permitindo que tenham uma aprendizagem mais abrangente.

“A Fe y Alegría trabalha na educação com grupos comunitários há muitos anos, e acreditamos que o P-TECH é uma grande iniciativa que promove a inclusão social por meio do aprendizado STEM”, disse Carlos Fritzen, coordenador da Federación Internacional Fe y Alegría. “Permitir a igualdade de oportunidades educativas é fundamental”.

Nos próximos meses, IBM, Fe y Alegría, AUSJAL e Magis Americas trabalharão com o setor empresarial preparando estudantes para o mundo do trabalho com iniciativas como tutoriais individuais, simulações de entrevistas, visitas a empresas, treinamento para professores e alunos, workshops sobre profissões relacionadas, cursos de habilidades profissionais e estágios remunerados.

“O acordo está comprometido com o desenvolvimento de modelos de inovação que articulem qualidade e inclusão no desenvolvimento integral de nossos países”, disse Ernesto Cavassa, reitor da Universidade Antonio Ruiz de Montoya (Lima) e presidente da Associação de Universidades Confiadas à Companhia de Jesus na América Latina (AUSJAL).

“Esta associação inclui 30 universidades, algumas das quais participarão do programa por meio da formação dos professores P-TECH e Fe y Alegria, incorporação de graduados do programa às universidades que os favoreçam, monitoramento e pesquisa de resultados, e tarefas de incidência que permitem a contribuição da inovação tecnológica na transformação das sociedades latino-americanas “, concluiu Cavassa.