Microsoft anuncia a criação de um AI Industry Board no Brasil

Fórum tem como objetivo discutir o uso ético e responsável da IA com representantes de empresas e organizações do país, além dos desafios e oportunidades trazidos pela tecnologia

A Microsoft anunciou a criação de um AI Industry Board (Comitê da Indústria para Inteligência Artificial) em conjunto com outras empresas e organizações. A primeira reunião do grupo, que tem a proposta de se reunir trimestralmente para discutir o uso ético e responsável da IA, além dos desafios e oportunidades trazidos pela tecnologia, contou com a presença de executivos de empresas como Bradesco, Vivo, Grupo Fleury, Sulamérica e Car10, além da participação extraordinária de Miriam Wimmer, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Representantes do Movimento Brasil Competitivo (MBC), do Instituto de Pesquisas em Tecnologia e Inovação (IPTI) e do Instituto de Tecnologia Social (ITS) também estiveram presentes no encontro realizado online. Lisa Tanzi, vice-presidente corporativa da Microsoft Corporation da Microsoft, foi convidada para palestrar.

Pesquisa aponta que o setor de serviços corporativos se beneficiará mais com maior incorporação de IA, com 26 milhões de novos empregos criados

O AI Industry Board tem como objetivo ampliar a discussão sobre o uso responsável da IA compartilhando boas práticas adotadas por empresas e organizações de vários segmentos, a fim de promover o desenvolvimento da inovação com base nessa tecnologia no Brasil. A contribuição para a competitividade do país por meio da IA e seu impacto na transformação digital também é o foco do comitê.

O conselho também é responsável por discutir o conhecimento mais demandado pela indústria, a fim de estabelecer maior competitividade e mão de obra qualificada, de acordo com as necessidades do setor. Isso é necessário para abordar o crescimento na criação de novos empregos e o desenvolvimento de profissionais mais bem treinados para o mercado de trabalho do futuro.

Como resultado desses debates, as empresas participantes podem identificar sinergias entre seus projetos e, em um segundo momento, alinhar oportunidades para aprimorar o aumento das iniciativas já realizadas individualmente; fazer parcerias com a academia e também buscar apoio dos setores público e privado para ações que considerem relevantes para expandir a adoção da IA pelo país e que devam resultar em desenvolvimento local sustentável.

No Brasil, o estudo “O impacto da IA no mercado de trabalho”, encomendado pela Microsoft à consultoria americana DuckerFrontier, analisou o que a IA pode trazer para o país, até 2030, na economia e na sociedade em cenários de benefício mínimo e máximo na adoção da tecnologia.

Segundo a pesquisa, o setor de serviços corporativos se beneficiará mais com maior incorporação de IA, com 26 milhões de novos empregos criados. Haverá 103% mais empregos até 2030 em comparação com as estimativas do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI) para o mesmo período, uma vez que os efeitos da automação e da criação de novos empregos aumentariam 258% nos serviços corporativos do setor. Outros setores que teriam ganhos importantes na criação de novos empregos seriam a manufatura (+ 73% na criação de novos empregos), os setores de varejo, atacado, hotelaria e alimentação (+ 44%) e construção (+ 42%).

De acordo com Jean-Philippe Courtois, vice-presidente executivo e presidente de vendas, marketing e operações globais da Microsoft, a IA é a tecnologia que define nosso tempo. “Ela é a chave para os esforços da transformação digital nacional. Construir coalizões fortes por meio de alianças da indústria, como o AI Industry Board, é apenas uma maneira de garantir uma inovação responsável que apoie a transformação das principais indústrias e beneficie a economia nacional “, explica.

Sobre o Comitê, a presidente da Microsoft Brasil, Tânia Cosentino, explica que o Brasil está avançando na adoção de tecnologia e este é um momento propício para a criação de um AI Industry Board. “Reunir os líderes dessas empresas e organizações para aprimorar o desenvolvimento e o uso de tecnologias baseadas em IA é uma maneira de contribuir ainda mais para essa transformação. Além disso, é uma maneira construtiva de garantir que a IA seja usada da melhor maneira possível, observando e discutindo seus impactos em diferentes setores, incluindo a capacitação de profissionais para a nova realidade do trabalho”, afirma.