Intel ARC chega para transformar a indústria de gráficos

Durante a CES, a Intel inaugurou uma nova era no mercado de GPUs com Intel Arc, marca dos futuros produtos da Intel para gráficos de alto desempenho, que leva à indústria uma nova opção de placas gráficas para jogadores e criadores de conteúdo ao redor do mundo, incluindo o Brasil, país que teve diversos engenheiros no desenvolvimento do Intel ARC e já conta com o primeiro jogo nacional que utiliza a tecnologia.

A equipe de desenvolvimento do Intel ARC possui diversos brasileiros no time. Foram pelo menos 7 engenheiros brasileiros no grupo de trabalho e, entre eles, José Souza, desenvolvedor que fez parte do time de criação do Intel ARC como um dos especialistas pela parte de display da GPU.

José Souza é GPU Software Development Engineer da Intel e está na empresa há 9 anos – 4 deles trabalhando com GPU. “Trabalhar com mais brasileiros no desenvolvimento do Arc foi incrível, o que reforça o foco da Intel em empregar os melhores talentos independente de nacionalidades ou geolocalizações. Essa diversidade de pessoas e ideias ajudou aos times realizarem um trabalho excepcional no desenvolvimento do Arc, garantindo experiências de tirar o folego quando os produtos chegarem às prateleiras.”.

O lançamento da marca Intel Arc e das próximas gerações de hardware reforçam o compromisso de longo prazo da companhia com gamers e criadores do mundo todo. Um exemplo prático que podemos citar é o jogo nacional de PC indie, Dolmen, da Massive Work Studio que se une a outros grandes estúdios mundiais que adotaram a tecnologia, como 505 Games, Codemasters, EXOR Studios, Fishlabs, Hashbane, IOI, Illfonic, Kojima Productions, PUBG Studios, Techland, Ubisoft e Wonder People.

A Massive Work Studio é uma desenvolvedora de jogos brasileira cuja sede principal fica em Natal (RN), criada em 2016, que adotou a solução Intel ARC no desenvolvimento do jogo Dolmen, de ação de ficção científica-RPG ambientado em um futuro distante, onde a humanidade deve lutar para sobreviver. O jogo está sendo otimizado para rodar em GPUs baseadas em Intel e será lançado esse ano. Gabriel Neves Ferreira, CTO da Massive Work Studios conta que a Intel ajudou na otimização do jogo, principalmente no aperfeiçoamento da Dolmen para rodar na tecnologia Intel® Xe Super Sampling (XeSS) – uma tecnologia de aumento de escala alimentada por IA que visa aumentar as taxas de quadros nos jogos modernos para PC.

A execução do XeSS é feita utilizando padrões abertos para garantir ampla disponibilidade em muitos jogos e em um amplo conjunto de hardware. Além disso, o Alchemist terá suporte à tecnologia Deep Link em plataformas Intel, com novas capacidades de computação, incluindo Hyper Encode, permitindo a aceleração simultânea de uma única transcodificação de arquivo de vídeo através de mecanismos gráficos integrados e discretos.

“A Intel nos forneceu acesso a suas mais recentes GPUs, hardware e software de CPU, o que nos permitiu avançar com Dolmen e alcançar nossos marcos, trazendo uma melhora de performance de mais de 79% ao jogo” explica o CTO da Massive Work Studios.

Durante o CES 2022, a Intel também anunciou mais de 50 novos designs de desktops e dispositivos móveis para clientes que trarão gráficos Intel Arc, incluindo Acer, ASUS, Dell, Gigabyte, HP, Lenovo, Samsung e MSI.

A Intel tem como um dos compromissos promover o futuro do mundo gamer, expandindo constantemente os limites de frequência para oferecer a melhor experiência em jogos para PC e com a tecnologia Intel, e com Intel ARC, ideia é apoiar ainda mais esse setor no segmento de placas de vídeo.

A participação de engenheiros nacionais na criação da Intel ARC e a parceria com desenvolvedoras e gamers do país mostram a preocupação e atenção que a empresa dá para o mercado brasileiro.