Canal de Distribuição

Edifícios inteligentes impulsionam vendas de IoT para o canal

Ciente da oportunidade, Commscope anuncia novidades em portfólio e calendário de treinamentos para parceiros

O mercado global de Internet das Coisas (IoT) deve chegar até o final deste ano a US$ 745 bilhões e, até 2022, vai ultrapassar US$ 1 trilhão, impulsionado principalmente pelos setores de manufatura e consumo, segundo estudo do IDC. No Brasil, a expectativa é que o ecossistema de IoT movimente US$ 9 bilhões e atinja índices de crescimento próximos a 20% até 2022. Por aqui, a vertical de agronegócios é a impulsionadora deste mercado. Por enquanto.

Em tempos em que a Internet das Coisas começa a fazer parte, de fato, da vida cotidiana, o mercado se ajusta para incluir na sua oferta as soluções inteligentes. E os edifícios inteligentes representam boas oportunidades para essas ofertas. Segundo o estudo IDC Energy Insights, os gastos mundiais com tecnologias de edifícios inteligentes foram de US$ 6,3 bilhões em 2014, e chegarão a US$ 17,4 bilhões em 2019. A taxa de crescimento anual em média é de 22,6%. No Brasil, a oferta ainda é pouco massificada.

O avanço da IoT combinado com conectividade, análises de dados, conectividade wireless e mobile edge computing (MEC) vai proporcionar o crescimento de soluções inteligentes para variadas aplicações e isso inclui cidades inteligentes, casas inteligentes e até edifícios inteligentes

No mundo, empresas de grande porte já traçam planos de curto, médio e longo prazo para terem construções cada vez mais “smarts”. Isso porque além de preparação, é importante que essa fundação forneça flexibilidade para as tecnologia e serviços que virão a seguir.

Ciente dessas oportunidades, a Commscope, fornecedora de soluções de infraestrutura para redes de comunicações, traçou um plano para destacar essas oportunidades ao seu canal de distribuição no Brasil e realizou um evento para cerca de 80 parceiros, que contou com a presença de Ed Solis, Vice-Presidente da CommScope para a região da América Latina e Caribe. O executivo, que tem entre suas metas ampliar a participação no programa PartnerPRO, definiu um plano de aproximação com os parceiros para impulsionar a oferta para edifícios inteligentes na América Latina.

“O Brasil é um dos principais países para Commscope, é um hub para outros países da América Latina. Por aqui, o canal sofreu com a mudança de governo. Os negócios estão em processo de retomada agora”, explica Solis, que prevê aumento de investimento em soluções tanto de edifícios inteligentes como de data center, próprio ou colocation.

“Estima-se que até 2022, 8 bilhões de pessoas habitarão nosso planeta com, em média, três dispositivos conectados por habitante. Planejamos o Kick Off 2019 pensando em como nos preparar para essa realidade próxima”, destaca Elayne Martins, diretora de vendas corporativas da CommScope.

Além de alinhar as estratégias na região com os parceiros, a companhia fez anúncios de portfólio e treinamentos, promovendo a consolidação do programa de canais da empresa. Na área de produtos, a CommScope apresentou a linha ULL – Ultra Low Loss, que traz soluções de fibra óptica, patch cords, cassetes MPO e acessórios que atendem de forma única o caminho de migração para velocidades mais altas. Essa plataforma de migração de alta velocidade suporta múltiplas gerações de equipamentos, enquanto mantém uma infraestrutura ágil e escalável.

Outra novidade é a linha de painéis e distribuidores ópticos Agile™ – novo portfólio de DIOs que atende diferentes realidades de projetos e que chega ao mercado nos próximos meses. O portfólio Agile é uma solução de painel para fibras ópticas modular e versátil, que permite montagem por fusão, conexão em campo ou pre-terminada com cassetes MPO, disponível em monomodo e multimodo, além de acessórios que permitem ganho de tempo na instalação da infraestrutura.