Na era digital, farmácias serão hubs de saúde

Segundo o Farmácias APP, tendência é de consolidação de marketplaces no varejo farmacêutico

 

O cenário de pandemia e isolamento social promoveu uma intensa readaptação de setores do varejo. Segundo o Farmácias APP, aplicativo de vendas online de saúde e beleza, o ano de 2021 fechou o primeiro trimestre com um aumento de 57,4% nas vendas online, quando comparado com 2020. No varejo farmacêutico, marketplaces foram um excelente caminho de transição e um novo canal de vendas para o início e atração de volume.

Com o fechamento de comércios na maior parte do ano passado, o processo de digitalização das farmácias foi uma necessidade e atualmente está em crescente expansão. Lojas que ainda não tinham grande penetração online e sustentavam suas operações apenas por meio de venda em PDV (ponto de venda) recorreram ao ambiente digital, o que aumentou ainda mais os números desse mercado e abrangeu uma capacidade de consumo que ainda não era possível.

No digital, a tendência é viabilizar um modelo cada vez mais focado na experiência dos consumidores

Para Robson Parzianello, diretor de tecnologia do Farmácias APP, o mercado está cada vez mais competitivo e o ideal é focar em atração e relevância para continuar crescendo no ambiente digital.

“Depois de credenciada no Farmácias APP, a farmácia deve iniciar uma validação periódica do seu estoque, mix de produtos, preços, frete e abrangência de entrega para garantir que sua loja tenha um posicionamento de relevância e destaque dentro da plataforma”, comenta.

Segundo a companhia, no digital, a tendência é que as farmácias virem hubs de saúde, um modelo inovador e disruptivo cada vez mais focado na experiência dos consumidores. Deste modo, possibilitará melhor efetividade ao utilizar uma única solução de aplicativo para oferecer múltiplos serviços, como consultas online, receituário, produtos de conveniência e, até mesmo, parceria com mercados, além de médicos dentro das próprias farmácias, como já acontece nos Estados Unidos, por exemplo.

“Quando falamos de futuro, acreditamos que o investimento em tecnologias voltadas à digitalização do negócio será mandatório, desde a boca do caixa até a gestão do estoque. Muitos varejistas não investem nisso por acreditarem que é algo apenas para as grandes redes, o que não é verdade. Com essas tecnologias, além de ter dados estratégicos para administrar o negócio, o varejista pode focar no que realmente é importante e trazer sua loja para o digital”, conclui o executivo.

Para quem deseja entrar no ambiente digital, a estruturação da plataforma, ações de marketing e segurança configuram alguns dos principais desafios. No entanto, marketplaces facilitaram esse processo ao oferecer a plataforma já preparada para atender os consumidores, além da redução de gastos para a loja que se adequa à digitalização e disponibiliza para o público sua presença online.