Geral Na prática

Coronavírus chega à internet

Segundo a Kaspersky, cibercriminosos aproveitam surto para disseminar malware

As tecnologias de detecção da Kaspersky encontraram malwares disfarçados de documentos com informações sobre o coronavírus. Os documentos maliciosos apresentam os formatos .pdf, .mp4, .docx e seus nomes indicam que eles contêm instruções em vídeo sobre como se proteger contra o surto da doença, atualizações sobre a ameaça e até procedimentos de detecção do vírus.

Na verdade, esses arquivos contém uma série de ameaças, que vão de trojans a worms, capazes de destruir, bloquear, modificar ou copiar dados, além de interferir na operação de computadores ou redes de computadores.

Os documentos maliciosos apresentam os formatos .pdf, .mp4, .docx e seus nomes indicam que eles contêm instruções em vídeo sobre como se proteger contra o surto da doença

“Até agora vimos apenas 10 malwares exclusivos usando o tema do coronavírus. Como golpes usando temas populares na mídia são comuns, acreditamos que esses ataques só tendem a aumentar conforme as infecções e repercussão sobre o surto do coronavírus crescem”, comenta Anton Ivanov, analista de malware da Kaspersky.

Os produtos Kaspersky detectam os malwares relacionados ao “coronavírus” com os seguintes nomes de detecção:

Worm.VBS.Dinihou.r

Worm.Python.Agent.c

UDS: DangerousObject.Multi.Generic

Trojan.WinLNK.Agent.gg

Trojan.WinLNK.Agent.ew

HEUR: Trojan.WinLNK.Agent.gen

HEUR: Trojan.PDF.Badur.b