Como os sistemas hiperconvergentes transformam os processos em pequenas e médias empresas

Especialistas

Bruno Barnett é gerente de Vendas na América do Sul da Fujitsu

Dentre as muitas tecnologias que transformaram a maneira de fazer negócio na área de TI das empresas, as soluções hiperconvergentes ganham cada vez mais destaque no mercado. Uma das razões para o crescimento na busca desse tipo de tecnologia é a maneira de como ele foi concebido: através da combinação de recursos de processamento, rede e armazenamento, e com isso simplificando os processos de maneira mais econômica em um ambiente de gestão unificada.

Hoje o mundo tradicional de TI entende que o investimento muitas vezes é alto para se ter o mínimo de retorno possível. A hiperconvergência transformou esse cenário com a combinação de tecnologias mais otimizadas e flexíveis e a visão do time de TI passa a ser focada no benefício do negócio. Já o investimento, é baixo e cresce de acordo com a demanda do negócio em questão.

Na corrida pela Transformação Digital, vemos um outro fenômeno em ascensão: a agilidade como fator importante. Mas o que define quem vai entrar nessa corrida de fato, não é mais o tamanho do negócio e sim, como a empresa utilizará os recursos que lhes foram dados. Outro ponto que se destaca na infraestrutura hiperconvergente é a possibilidade de atender todo o tipo de negócio: desde os maiores até as pequenas e médias empresas.

De acordo com dados do Sebrae, as pequenas e médias empresas brasileiras são responsáveis por 98% de todos os negócios no País. Os SMB (Small and Medium Business) passam a exigir cada vez mais uma infraestrutura de qualidade por questão de segurança e a área TI hoje é quase mandatória para ajudar em todos processos, em todos os setores.

Estruturar um data center para que as demandas sejam devidamente cumpridas é tão importante quanto manter o ambiente atualizado e, para isso, existem parceiros que podem auxiliar na busca da melhor solução. Abaixo, alguns dos benefícios da infraestrutura hiperconvergente e como eles se aplicam para SMBs:

– Maior controle: Com o servidor, armazenamento e rede integrados, a equipe de TI passa a ter uma visão geral da infraestrutura. Isso facilita o dia-a-dia e oferece um controle maior dos processos;

– Eficiência: Com uma visão geral dos processos, pode-se obter gráficos e dados que ajudam a entender onde está caminhando cada coisa. O que gera eficiência na previsão de situações e aumenta a estabilidade, deixando o negócio protegido;

–  Segurança: A segurança não é mais pautada apenas por empresas com um grande volume de dados. As startups e fintechs, por exemplo, são grandes consumidores de TI e encontram cada vez mais na estrutura hiperconvergente uma maneira de evitar e antever fraudes;                                                                                       

– Velocidade: Com o fluxo de informações crescendo a todo momento nas pequenas e médias empresas, exige-se que os processos sejam feitos de maneira rápida e de maneira descomplicada. Se temos agora um novo objetivo que é estar mais próximo do cliente, a informação deve ser processada da maneira mais rápida possível;

– Recursos independentes: Com os recursos modulados em um ambiente hiperconvergente, as configurações podem ser feitas de maneira simplificada sem comprometer ou até mesmo interromper o desempenho de outros.