Blue EdTech expande parcerias para empregar jovens

Startup estabelece conexões entre jovens que buscam uma oportunidade no mercado de tecnologia da informação e empresas que querem construir times de alta performance

A Edtech Blue, que atua como uma escola de Tecnologia da Informação com foco em programação, está em busca de novos parceiros que possam ajudá-la a alcançar o seu objetivo de criar oportunidades de trabalho para seus alunos e, assim, atingir a meta de formar e empregar 12 mil pessoas até 2026. A startup almeja parceria com empresas de todos os segmentos que tenham demanda por profissionais de TI.

“É fundamental que o parceiro esteja alinhado ao nosso projeto, que visa proporcionar capacitação de qualidade para quem quer atuar nesse setor que, cada vez mais, precisa de profissionais qualificados e com interesse de participar ativamente das transformações que organizações de todos os portes estão passando. Hoje, um profissional de TI é indispensável para potencializar a maturidade digital de qualquer companhia. Na Blue nós trabalhamos para formar esse profissional.”, comentou Daniela Lopes, CEO da Blue.

Destinado, principalmente, à formação de jovens carentes, com um modelo de financiamento no qual o aluno só começa a pagar quando estiver empregado, o curso oferecido pela Blue, tem 12 meses de duração e também atrai um público diversificado que inclui, desde quem nunca teve experiência com programação, até pessoas acima dos 30 anos, e profissionais que estão em transição de carreira.

A Edtech ultrapassou, recentemente, a marca de 300 alunos que estão atualmente divididos em quatro turmas. Após seis meses de curso, os alunos já estão aptos a concorrer a uma vaga e no término dos 12 meses, eles estarão capacitados para atuar com ferramentas, técnicas, e as linguagens mais modernas utilizadas no mercado de tecnologia como, por exemplo, desenvolver sistemas, aplicativos, softwares e sites, proteger dados e atuar com segurança da informação.

Segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação, (Brasscom), estima-se que, no setor, o gap entre vagas ofertadas sem profissionais para preenchê-las aumente em 25 mil ao ano. A percepção deste cenário foi imprescindível para que Daniela criasse a Edtech que, agora, quer expandir ainda mais sua atuação no mercado. “Já temos mais de 30 empresas parceiras e queremos ampliar esse número ainda mais para ajudar nossos alunos a conquistar uma vaga no mercado de trabalho”.

CENÁRIO

De acordo com os dados recentes do “Monitor de Empregos e Salários”, produzido pela Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), no primeiro trimestre de 2021, foram gerados 52 mil novos postos de trabalho em Tecnologia da Informação e Comunicação, enquanto no mesmo período do ano passado, esse setor gerou 17 mil. Entre janeiro e março foram anunciadas 52.743 novas vagas em TIC.

Apesar do bom momento para o setor, a entidade destaca que, mesmo o saldo superior a 50 mil vagas em 2020 não foi suficiente para dar conta de toda a demanda do mercado. Ainda de acordo com relatório setorial do ano passado, para suprir a necessidade do setor, seria necessária à contratação média de 70 mil profissionais por ano entre 2019 e 2024.